Saiba como viajar com seu animal de estimação no avião

Planejar uma viagem é sempre uma delícia, só que pensar em deixá-lo sozinho ou mesmo deixá-lo com terceiros durante sua próxima viagem, dá aquela sensação de tristeza, não é mesmo? Por este motivo, vamos contar um pouco para vocês como é planejar levar seu companheiro junto com você nas suas aventuras mundo a fora. Quando você está em aeroportos é possível perceber que está cada vez mais comum ver as pessoas viajando com seus bichinhos de estimação.



Isso está acontecendo porque as companhias aéreas perceberam que os bichanos fazem parte da nossa família e não devem ser tratados como carga ou acessório e sim, como um pedacinho de nós. E assim elas estão mais flexíveis com esse transporte, o que está permitindo inclusive, levar alguns animais na cabine junto com os donos em voos nacionais e internacionais.


As companhias aéreas que permitem que o animal de estimação vá junto na cabine, o peso máximo somado da caixa de transporte e do animal não ultrapassar de 5 a 10kg (o peso varia de acordo com a cia aérea). Acima do peso permitido dentro da cabine, o animal de estimação deve viajar no compartimento de carga da companhia aérea.



O que determina se o animal viajará na cabine, quando permitido, ou no compartimento de carga são as dimensões e o peso da caixa de transporte, bem como qual a raça do bichano. Algumas companhias aéreas não transportam animais de focinho curto (braquicefálicos), como o pug e o pitbull: estas raças lidam mal com variações grandes de temperatura, podendo sofrer graves danos, passar mal devido a eventuais demoras no embarque, principalmente se o dia estiver muito frio ou quente. Independente disso, não se preocupe: os compartimentos de carga modernos, assim como as cabines, são pressurizados e têm temperatura controlada, proporcionando relativo conforto ao animal.


A caixa de transporte deve cumprir alguns requisitos mínimos para garantir o conforto e a segurança do animal durante a viagem. Primeiro, suas dimensões devem permitir que o animal fique de pé e dê um giro de 360° ao redor de si mesmo. Vale ressaltar que cada companhia aérea tem dimensões especificas de caixa de transporte, por isso consulte antes a cia aérea que vai voar para os detalhes específicos da sua viagem e animal.

















Como as companhias aéreas limitam o número de cargas vivas por voo, assim que comprar a sua passagem é recomendável entrar em contato com a companhia, para verificar as regras da mesma e reservar o serviço de transporte para evitar possíveis transtornos na hora do embarque. A reserva antecipada garante o embarque do seu pet.


O serviço de embarque de animais é pago?

Sim. O valor varia entre as companhias aéreas, tipo de voo, nacional ou internacional, peso do animal e local que o animal vai, cabine ou compartimento de cargas.



Dicas gerais para viagem com animais em avião
  • Verifique as restrições aplicadas pela autoridade sanitária de cada país e/ou local de destino;

  • Verifique toda documentação necessária para entrada no local de destino;

  • Seu animal de estimação deve estar em boas condições de saúde e não pode estar esperando filhotes.

  • Procure alimentar seu animal em até duas horas antes do voo para evitar desconfortos. Outra dica é que a alimentação seja reduzida e leve;

  • Higienize seu pet antes de embarcá-lo.

  • Entre em contato a cia aérea para sanar qualquer dúvida e/ou problema na hora da sua viagem.

  • Seja na cabine ou no porão, seu bichinho vai ficar estressado por toda movimentação, ambientes, tempo que ficará preso dentro de uma caixinha de transporte. Por isso é importante que comece a acostumar seu companheiro de viagem a entrar e ficar na caixinha algum tempo antes do dia da viagem. Para que ele fique mais confortável coloque brinquedos ou petiscos lá dentro. Faça também algumas refeições entro da caixinha, assim ele ficará mais habituado.

  • Leve ele pra passear dentro da caixinha para a situação ficar mais rotineira, deixando ele mais calmo para o dia da viagem.


Documentação necessária para embarque

São exigidos alguns documentos para garantir que será seguro para passageiros e animal que ele embarque. Todos eles devem ser emitidos por médico veterinário devidamente registrado no Conselho Regional de Medicina Veterinária da Unidade Federativa de origem do animal.


No caso de viagens nacionais, a Anac exige que seja apresentada carteira de vacinação atualizada, onde estejam comprovadas as vacinas múltipla e antirrábica, além de tratamento com vermífugo. Para viagem internacional, é obrigatório apresentar também o Certificado Zoossanitário Internacional (CZI). Para obtê-lo, é necessário agendar uma consulta com médico veterinário do Ministério da Agricultura, que se encontra em aeroportos internacionais. Atenção à validade das vacinas: a antirrábica deve ter sido aplicada há mais de 30 dias e sua validade é de um ano. Caso o animal seja silvestre, é necessária, ainda, autorização emitida pelo IBAMA para transportá-lo.


É importante também consultar as exigências do país de destino e providenciar outros documentos, se necessário. Algumas companhias aéreas exigem outros documentos também, como Certificado Sanitário informando que o animal está em boas condições de saúde e pode viajar. Por ter validade de 72 horas, será necessário solicitar mais um antes da volta. Algumas companhias aéreas pedem que os animais viajem sedados em trechos mais longos; consulte seu veterinário e a companhia aérea a este respeito.


Documentos específicos para voos nacionais e internacionais


Voos nacionais:


*Comprovante da vacinação antirrábica, com o nome do laboratório produtor, o tipo da vacina e o número da ampola utilizada. A vacina tem que ter sido tomada entre 30 dias e um ano antes do embarque.

*Atestado de saúde do animal: o documento deve ter sido emitido por um médico veterinário, com validade de 10 dias da data de emissão.


Voos internacionais:


* Certificado Veterinário Internacional – CVI: certificado emitido para voo internacional. Válido por 60 dias corridos a partir da emissão.

* Certificado Zoosanitário Internacional – CZI: certificado emitido para voo internacional. Válido por 60 dias corridos a partir da emissão.

* Atestado Sanitário: deve constar no documento que o animal de estimação está em boas condições de saúde. Deve ser emitido 10 dias antes da emissão do CVI.

* Carteira de vacinação: obrigatória para animais a partir dos três meses de idade. Deve ter sido aplicada há mais de 30 dias e menos de 1 ano.

* Apresentar-se ao Ministério da Agricultura, que fornecerá o Certificado Veterinário Internacional. Além disso, recomenda-se validar no consulado do país de destino a documentação necessária para a entrada do animal, pois alguns países possuem particularidades nesse processo.


Vale lembrar que a vacinação contra raiva é importante, trata-se de uma doença grave que compromete não apenas a saúde dos animais, mas a dos humanos também. A vacina é obrigatória para animais com mais de três meses de idade e deve ter sido aplicada há mais de trinta de dias e há menos de um ano.



Esperamos que as dicas ajudem vocês! E boa viagem com seu companheiro de vida e agora de viagem também!


#pet #pets #pettravelling #cat #dog #animaldeestimação #viagem #viagemcomanimal #cachorro #gato #trip #travel #travelling #animalnoavião